Home > As minhas alergias poderão passar para o meu bebé?

As minhas alergias poderão passar para omeu bebé?

Se a mãe ou pai do bebé tem alergias, poderá preocupar-se sobre se estas irão passar para o seu bebé. Aqui está uma explicação sobre como a genética pode afetar o desenvolvimento de alergias.

Nenhum pai ou mãe é igual, mas uma das coisas que a maioria dos pais têm em comum é que querem que os seus filhos sejam saudáveis e felizes, e como tal podem preocupar-se sobre o desenvolvimento de alergias aos seus bebés.

transmitir alergia bebé

As alergias são hereditárias?

É verdade que as crianças com antecedentes familiares de alergia estão mais em risco do que as outras. Por exemplo, se um dos pais tem alergias, a hipótese de o bebé ser afetado é de 20 a 40%. Se ambos os pais são afetados, esta hipótese aumenta para 40 a 60%. Além disso, se o seu filho tem um irmão ou irmã com alergias, terá uma hipótese entre 20 a 30% de também desenvolver alergias.1 Certos genes fazem com que o sistema imunitário reaja híper-sensivelmente. Algumas alergias (como a alergia aos amendoins) tendem a existir em toda a família. Fale com o seu profissional de saúde sobre como poderá avaliar o seu perfil alérgico.



O meu bebé está em risco?

Apesar de um histórico familiar de alergias mostrar que o seu bebé pode estar em risco, tal não significa que irá definitivamente desenvolver alergias. Existem fatores ambientais que também entram em jogo - desde o tipo de parto até ao uso de antibióticos - e estes poderão influenciar o desenvolvimento de alergias.



Como posso proteger o meu bebé das alergias?

As alergias podem afetar significativamente a qualidade de vida do seu bebé até à idade adulta. É importante que o sistema imunitário do seu bebé seja resistente o suficiente para o proteger.

O leite materno é a melhor fonte de proteção que pode oferecer ao seu bebé. Os bebés amamentados tendem a ter mais bactérias benéficas no seu intestino, o que pode ser muito importante para garantir o desenvolvimento adequado do seu sistema imunitário.2, 3

transmitir alergia bebé


Se, por motivos médicos, a amamentação em exclusivo não for possível, o seu profissional de saúde poderá considerar uma fórmula parcialmente hidrolisada enriquecida com prebióticos e probióticos. A Organização Mundial de Alergia recomenda que todos os bebés em risco, que não são exclusivamente amamentados, recebam um suplemento prebiótico para ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento de alergias.4

Se pensa que o seu bebé tem uma alergia, fale com o seu médico para descobrir a melhor forma de a controlar. Também pode ser útil manter um diário para acompanhar os sinais de alergia do seu bebé e as possíveis causas.

 

Referências

1https://www.aptaadvantage.com.sg/baby/health-and-wellbeing/risk-of-allergy-article-1
2https://www.nutriciaresearch.com/allergy/the-patch-study/
3Boyle R et al. Allergy, 2016;71:701–710; Van Esch B. PAI, 2011:22;820-826; Van Esch B. PhamaNutrition, 2017:5;1-7; Chin Chua M, et al. JPGN, 2017;65:102–106; Van der Aa LB, et al. Clin Exp Allergy, 2010;40:795–80
4Van der Aa LB, et al. Allergy, 2011;66:170-7. De Kivit, et al. J Leukoc Biol, 2017 Jul;102(1):105-15.)
https://www.nutriciaresearch.com/allergy/allergy-from-avoidance-to-exposure-through-nutrition/

Artigos relacionados:
NOTA IMPORTANTE: O leite materno é a nutrição ideal para o bebé, com todos os benefícios para o bebé e para a Mãe. É importante que, na gravidez e durante o aleitamento materno, a alimentação da Mãe se baseie numa dieta sã e equilibrada. A combinação do leite materno com a alimentação por biberão, durante as primeiras semanas de vida, pode reduzir a produção do leite materno e é difícil voltar atrás na decisão de não amamentar. As implicações financeiras e sociais de utilizar um leite infantil devem ser sempre consideradas. No caso da impossibilidade do aleitamento materno devem ser seguidas as recomendações do profissional de saúde sobre o leite a utilizar e devem ser seguidas as instruções de utilização dadas pelo fabricante, pois a sua utilização incorreta pode colocar em risco a saúde do bebé.