Home > ¿Será que os bebés nascem com alergias e como é que estas se desenvolvem?

Será que os bebés nascem com alergias e como é que estas se desenvolvem?

bebés con alergias


A prevalência para alergias está atualmente a aumentar, mas será que isso significa que os bebés nascem com alergias?

Corrimento nasal, prurido nos olhos e erupção cutânea moderada — alguns dos sinais mais comuns de alergias. Podem ser apenas uma fonte de aborrecimento, mas em alguns casos podem resultar em situações de risco. Como mãe ou pai, quer o melhor para o seu bebé, e isso inclui proteger o seu pequeno de alergias.

A maioria dos bebés não nasce com alergias, mas estas afetam cada vez mais pessoas, sendo que até 40 % da população mundial é atualmente afetada1. Uma das alergias mais comuns na infância é a alergia ao leite de vaca, que ocorre em cerca de 2 a 5 % dos bebés2.



O que é a alergia?

Uma alergia é uma reação hipersensível do sistema imunitário. Isto acontece quando o sistema reage exageradamente a substâncias normalmente inofensivas, como certos alimentos, pólen ou poeira, e pode ser um sinal de que o sistema imunitário está desequilibrado1.


O que pode dar origem ao desenvolvimento das alergias?

Acredita-se que o aumento da prevalência de alergias pode ser devido à incapacidade do sistema imunitário em lidar com as rápidas mudanças do quotidiano, tais como poluição, antibióticos e um número crescente de partos por cesariana3. Estes são apenas alguns dos muitos fatores que podem desencadear um desequilíbrio no intestino e nos microrganismos que vivem no sistema digestivo.

bebés con alergias

Comer bem e estar bem

Todos nós sabemos que uma boa nutrição é importante, mas sabia que tal pode influenciar o aparecimento de alergias em bebés?

Até 80 % das nossas células imunitárias vivem no intestino3. Um intestino saudável contribui para um sistema imunitário saudável! O estabelecimento e manutenção de bactérias benéficas no intestino, que promovem um sistema imunitário saudável, pode ajudar a reduzir o risco de alergias.

A melhor maneira de garantir que o intestino do seu bebé tem bactérias benéficas suficientes é amamentar. Se isso não for possível, o seu profissional de saúde poderá considerar a escolha de uma fórmula de proteínas parcialmente hidrolisadas se o seu bebé estiver em risco de desenvolver uma alergia4. De acordo com as diretrizes da Organização Mundial de Saúde, os bebés em risco que não são exclusivamente amamentados devem também ser alimentados com suplementos com prebióticos para ajudar a reduzir o risco do desenvolvimento de alergias 4,5.


Referências

1https://www.nutriciaresearch.com/allergy/allergy-the-immune-gut-interplay/
2https://www.nutriciaresearch.com/news/new-data-important-for-infants-suffering-from-severe-cows-milk-protein-allergy/
3https://www.nutriciaresearch.com/gut-and-microbiology/the-central-role-of-the-gut/
4https://www.nutriciaresearch.com/allergy/allergy-from-avoidance-to-exposure-through-nutrition/
5Cuello-Garcia C et al. World Allergy Organization Journal. 2016.9-10. 15. Van Loo J. Nutr Res Rev. 2004:17(1):89-98.

Artigos relacionados:
NOTA IMPORTANTE: O leite materno é a nutrição ideal para o bebé, com todos os benefícios para o bebé e para a Mãe. É importante que, na gravidez e durante o aleitamento materno, a alimentação da Mãe se baseie numa dieta sã e equilibrada. A combinação do leite materno com a alimentação por biberão, durante as primeiras semanas de vida, pode reduzir a produção do leite materno e é difícil voltar atrás na decisão de não amamentar. As implicações financeiras e sociais de utilizar um leite infantil devem ser sempre consideradas. No caso da impossibilidade do aleitamento materno devem ser seguidas as recomendações do profissional de saúde sobre o leite a utilizar e devem ser seguidas as instruções de utilização dadas pelo fabricante, pois a sua utilização incorreta pode colocar em risco a saúde do bebé.